CAPUCHINHA

05/01/2020 17:20

Tropaeolum majus L.
Tropaeolaceae 


Sinonímias: Cardamindum majus (L.) Moench , Trophaeum majus (L.) Kuntze. 

Nomes populares:  Capuchinho, chaguinha, mastruço-do-peru, flor-de-sangue, agrião-do-méxico, nastúrcio, agrião-da-índia, flor-de-chagas, etc. 

Origem ou Habitat: Nativa das regiões montanhosas do México e Perú. 

Características botânicas:  Herbácea anual, de ramos rasteiros ou escandentes, carnosos, retorcidos, medindo de 1-2 m de comprimento. Folhas membranáceas, glabras, peltadas, longo-pecioladas, com 5-7 nervuras principais saindo do ponto de inserção do pecíolo, de 4-10 cm de diâmetro, com bordos inteiros ou ligeiramente lobulados. Flores solitárias, grandes, de cor vermelha, alaranjada, amarela ou branca, muito ornamentais. O fruto é um triaqüênio globular e subcarnoso. Multiplica-se por sementes. 

Partes usadas:Folhas, flores e frutos. 

Uso popular:  Expectorante, antiescorbútica, diurética, tônica, depurativa, aperiente e para infecções do sistema respiratório e urinário. Também é usado como antimicótico, analgésico e contra queda de cabelos. Para dor de garganta costuma-se comer as flores frescas. Toda a planta é considerada comestível. Os frutos verdes são consumidos como substituto da alcaparra, quando maduros são usados como laxantes. 

Composição química:  Glicosinolatos (0,1%): estão presentes no óleo essencial, principalmente a glicotropeolina, que por hidrólise gera benzil-isotiocianato (óleo de mostarda). Terpenóides, vitamina C (300mg/100g de planta fresca), carotenóides, ácidos orgânicos (ácidos málico e clorogênico), flavonóides (glicosídeos da quercetina e isoquercetina), sais minerais rico em sulfato de potássio. 

Ações farmacológicas: Apresenta propriedades balsâmicas e antimicrobianas in vitro, frente a várias bactérias. Também possui efeito vasodilatador coronário e efeito citotóxico frente a várias linhagens de células tumorais.(principalmente pela presença de benzil-isotiocianato). O óleo aplicado externamente tem propriedades rubefacientes. É preventivo em patologias da árvore respiratória por conter altos teores de vitamina C. A ação conjunta entre flavonóides, vitamina C e componentes sulfurados geram um efeito antioxidante. O conteúdo em enxofre de suas partes aéreas é útil em problemas capilares e dérmicos. 

Efeitos adversos e/ou tóxicos: Em alguns casos pode causar dermatite de contato. 

Contra-indicações:  Evitar seu uso em grávidas, lactantes e em pessoas com úlceras gastrointestinais. Não administrar em crianças pequenas nem em pacientes com hipotireoidismo. 

Posologia e modo de uso: Infusão (2-3%): 3 folhas grandes para 1 xícara de água. Tomar 2 a 3 vezes ao dia. Infusão (20%) de flores e folhas para uso externo. 

 

 

Referências:
ALONSO, J. Tratado de Fitofármacos y NutracéuticosRosario, Argentina: Corpus Libros, 2004.  

 LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008. 

 https://scifinder.cas.org/scifinder/view/scifinder/scifinderExplore.jsf “Comparison of antioxidant, anti-inflammatory, antimicrobial activity and chemical composition of aqueous and hydroethanolic extracts of the herb of Tropaeolum majus L. By: Bazylko, Agnieszka; Granica, Sebastian; Filipek, Agnieszka; Piwowarski, Jakub; Stefanska, Joanna; OsinskaEwa; Kiss, Anna K. Acesso 26 junho 2014. 

htpp://www.tropicos.org – acesso em 11 de abril de 2011. 

Tags: AnalgésicoAntiescorbúticaAntimicóticoDepurativoDiuréticoExpectorante